Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Errante

"Por mais soberana que a a minha mente se torne, o meu coração será para sempre vagabundo"

22
Dez14

"Estamos a destruir a expetativa"

anpatriciaa

"Aquilo que estes autores vêm dizer é que se calhar não é bem assim como estávamos a pensar e se calhar muito do prazer que temos com o consumir de substâncias como o álcool não tem a ver com o gostar, não tem a ver com o consumir, mas tem a ver com o pensar em consumir, tem a ver com o desejo, com a expectativa (gostar é diferente de desejar). O que eles verificaram é que partindo do primeiro consumo, a nossa parte do gostar em termos do prazer vai diminuindo, ou seja, através de fenómenos de tolerância, quando repetimos os consumos, o gostar vai diminuindo. O que vai aumentando é o processo de condicionamento e a expectativa. Isto quer dizer que provavelmente todas estas áreas são estimuladas quando o paciente alcoólico caminha para o bar e sabe que vai beber, ou quando o toxicodependente prepara o garrote para se injectar, mais do que a própria substância no organismo. Por exemplo, acontece-vos isso quando combinam algo com os vossos colegas, e a expectativa da própria festa que vocês têm programada vos deu mais gozo do que quando estiveram lá. Este é o poder da expectativa. Nós em termos de sociedade de consumo, pensem nisto, estamos a destruir a expectativa. Hoje ninguém tem paciência para esperar, porque querem é ter as coisas logo. Ao destruir a expectativa estamos a destruir o prazer. Estamos a evoluir e transformar a sociedade através do paradigma do consumo toxicodependente, que é o mínimo custo e o máximo do benefício em termos do prazer. Mínimo custo que é adquirir a substância e o prazer máximo. É o esforço de obter que dá o prazer, dizem estes autores, e se eles estiverem correctos, nós estamos gradualmente e a passos largos a destruir a nossa capacidade de sentir prazer."

ism.png

(retirado das desgravadas das aulas de ISM, 3º ano FMUL, Prof. Dr. Samuel Pombo)
gráfico: The neural basis of drug craving: an incentive sensitiation theory of addiction. Robinson  T., Berridge, K. Brain Research Reviews, I8 (1993) 247-291

 

 

 

30
Out14

bulimia

anpatriciaa

 Ontem tive a oportunidade de aprender (e ver com os meus próprios olhos!) uma coisa que praticamente ninguém conhece, doentes com comportamentos bulímicos, por tanto forçarem o vómito ficam com marcas específicas nas mãos. O professor disse que há mesmo médicos que encaminham estas pessoas para o dermatologista, que por sua vez lhes receita uns cremes ou umas pomadas que obviamente não resolvem o problema. É um pormenor importante, e a sua identificação pode ser uma boa ferramenta para um diagnóstico precoce e consequentemente uma vida salva. Não entendo porque é que nunca se ouve falar disto.

 

200px-Russell's_Sign.png

 

30
Abr14

:)

anpatriciaa

 Uma vez que não se deve salientar apenas os aspectos negativos, aqui vai: O professor de Neurofisiologia que deu as práticas esta semana é mesmo muito simpático. Além de ter dado uma aula tanto educativa como descontraida, no final eu perguntei-lhe uma dúvida, daquelas que os professores não percebem bem o que não entendo, e ele com desenhos no quadro fez-me perceber tudo. =)

 

 

12
Nov13

12-11-2013; desired changes

anpatriciaa

 

(imagens: (1) Scrubs, My mentor" (2) um dos cozinhados que deveria experimentar, in Food Porn)



 Aviso prévio à leitura: o texto abaixo será a repetição de 1000 anteriores, as minhas ideias e problemas repetem-se, que não seja esperada a leitura de algo novo. Dito isto, we shall continue.

 

Tenho que fazer algumas mudanças, antes de mais, começar a estudar a sério, estou no 2º ano de medicina e os meus dias têm consistido em manhãs a baldar-me às aulas para dormir e tardes passadas no computador a ler levemente sebentas e livros, estou basicamente a cavar a minha cova, como a Elliot dos Scrubs fez ( xD). Ainda para mais, estabeleci que quero uma média de 17 e nenhuma nota inferior a 16 (yeah...).

 Depois, e um pouco relacionado, passar menos tempo inútil na net, é que passam-se horas e horas que podiam ser utilizadas a fazer coisas tãoooo mais úteis. Entre estas, estudar, cozinhar (que sempre que vejo comida com bom aspecto, mais uma vez, na net...), passear... Enfim, passar tempo de qualidade e não simplesmente desperdiçar experiencias potenciais.

 Amanhã vou à tão esperada consulta de oftalmologia, vamos ver como corre, estou mesmo entusiasmada!!!

07
Nov13

"Apesar de ser apenas mais um dia normal (...)"

anpatriciaa

"(...) E não ter acontecido nada de especial,

Hoje sinto a boa vibe e nada me corre mal

Ainda bem que há dias assim."  - Boss ac

 

 Citando o Ac, hoje foi, de facto, "apenas mais um dia normal", fiquei na biblioteca até às 15h40, hora a que fui alugar uma bata porque me esqueci da minha na residência e não quis fazer má figura, e fui para a única aula prática do dia, Microbiologia. A primeira coisa que fizemos, como sempre, foi o teste semanal, que podia ter-me corrido melhor, já que me deu uma branca na pergunta que creio valer mais, mas sem stress, que não há-de ser nada... De seguida o prof. disse as notas do teste anterior. O meu nome é o antepenúltimo na lista, pelo que o suspanse quase que matou, até que ele diz "Ana Palmeiro... 19". Fiquei num extâse interior, sei que a minha nota pouco significa, nem para o meu conhecimento, porque não entendo assim tanto de microbiologia, nem no papel, já que constitui menos de 1/14 de 12% (ou seja menos de 0,86%) da nota final do tronco comum IIa). (damn, que negativismo, não devia ter feito estas contas xD).

 Depois de uma aula em si agradável (descobri que gosto de estar num laboratório de microbiologia) e de ter falado com algumas pessoas, chego ao refeitório e a comida é deliciosa (ver foto abaixo, sim, eu sou daquelas pessoas tristes que tiram fotos à comida, muito hipster...).

 

28
Out13

:)

anpatriciaa

 Passei a manhã a tentar estudar fármaco, é tão difícil! Entretanto comecei a ouvir uma gravação que alguém havia gravado da prof., mas que fixe! Dá para ouvir e voltar a ouvir as partes mais importantes, dá para relembrar aqueles toques de lógica que os livros falham em transmitir, a forma de unir os pontos que são a teoria. De repente, eram 11 horas. Planeava baldar-me às teóricas de manhã, mas a aula das 12h era de SNA, a tal matéria de farmacologia que me anda a dar voltas à cabeça, decidi ir e gravar eu a aula, não vá a pessoa que gravou as anteriores não o fazer desta vez... Bem, cheguei 10 minutos atrasada, porta barrada, damn! Ia estudar para o aquário, mas estava demasiado cheio e quente, então fui para a biblioteca do 6º piso (desta vez fui de elevador, evitei os 132 degraus xD). Quanto cheguei, constatei que me havia esquecido dos fones, damn, outra vez! Estudo estragado, não me apetece ler mais o livro nem as sebentas. Fui perguntar ao senhor da biblioteca se alugavam fones, ele riu-se e disse que nunca tinha pensado em investir nisso, mas que parecia uma boa ideia. Agradeci e fui sentar-me, passado um pouco ele veio ter comigo com uns fones já antigos, e pediu-me pra ver se funcionavam. Voilá, servem perfeitamente a sua função. Fiquei feliz, o senhor foi muito querido. Lembrei-me de Santiago, um episodio semelhante aconteceu-me com o senhor lá da biblioteca da USC- medicina. Fiquei com saudades, foi um bom ano. Ocorreu-me que daqui a uns anos a cara desse senhor de Santiago se apagará da minha memória. Uma cara que eu tão bem conhecia, por vê-lo praticamente todos os dias, entre um olá ao inicio da tarde e um adeus aquando do fecho da biblioteca às 21h30...

 

fotografias: ano passado em Santiago de Compostela (aii, a saudade!)

16
Out13

desistir ou fracassar assumidamente?

anpatriciaa

 É tão dificil fazer um esforço quando se crê que a derrota é eminente. Desistir é tão mais apetecivel, porque quando desistimos sentimos que não falhámos (embora o tenhamos feito, e talvez de forma ainda mais evidente do que se falhássemos de forma assumida e humilde). "Não é que tenha chumbado, simplesmente nem sequer o fiz...".

 

 Tenho um teste amanhã, tive apenas 2 dias para estudar visto que, como vai sendo habitual, comecei a ir às aulas já tarde. Não sei nada, vou arruinar tudo logo ao principio. Que seca!

 

Anway, isto foi apenas um desabafo, não vale a pena ser tão derrotista, é óbvio que o teste não me vai correr bem, mas também não será motivo de luto. Tenho que impressionar no próximo, apenas isso. :)

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D